O QUE É O PROJETO SPILIA ?

Em 2016, a UNESCO aprovou a criação da primeira Cátedra Mundial de Filosofia com Crianças. O seu objectivo é promover o diálogo entre os cidadãos do mundo e a compreensão mútua de cada cultura, com vista à paz.

As competências sociais e cívicas não são frequentemente desenvolvidas pelas escolas, mas são essenciais para a aprendizagem. O objectivo dos workshops “debate com alcance filosófico” é desenvolver estas competências nas crianças, exercitando o seu olhar crítico e valorizando o diálogo e a liberdade de expressão sobre temas relacionados com cidadania e valores humanistas, num ambiente respeitoso e atencioso. Os workshops dão sentido à aprendizagem porque criam laços entre as crianças, o que por sua vez gera nelas uma verdadeira motivação.

Colocar o projecto europeu e o seu património cultural no centro das oficinas de debate com um objectivo filosófico parece-nos ser de primordial importância. As realidades redesenhadas pelas crises da última década em muitos sectores beneficiam os movimentos nacionalistas e separatistas cujas mensagens e valores populistas põem em perigo a unidade europeia. A análise das competências e desafios da União é, portanto, o nosso ponto de partida para assegurar que os nossos futuros cidadãos se apropriem do projecto europeu e se tornem actores motivados e responsáveis no mesmo.

Aproximarmo-nos da Europa através dos valores universais em que se baseia, permitir-nos-á redefini-la com os jovens participantes, torná-los conscientes dos desafios de hoje e de amanhã e, porque não, desenvolver uma identidade europeia que permanece para muitos uma utopia. Os workshops do DVP criarão situações de aprendizagem que promoverão a aquisição das ferramentas intelectuais necessárias para que os estudantes compreendam estes desafios e os tornem seus.

Em termos concretos, isto significa aprender a filosofar, a dominar um processo de pensamento, a adquirir a capacidade de argumentar, a apresentar um ponto de vista, a analisar e a conceptualizar. Os seminários do DVP mobilizarão estas competências para desenvolver novas competências, essenciais num contexto escolar:

  • Problematização”, que consiste principalmente em colocar um problema de uma forma metódica e estruturada, questionando opiniões e certezas e salientando a complexidade de um conceito e as suas noções.
  • Conceptualização”, que permite elevar as práticas empíricas ao nível conceptual e construir uma definição através de um processo de reflexão estruturada.
  • Argumentação” que é a arte de justificar racionalmente uma afirmação, mas também de propor objecções, escolhendo as palavras certas para traduzir o pensamento de cada um.

Michel Tozzi, filósofo francês de referência na facilitação de discussões filosóficas com crianças, propõe uma definição de “filosofização” que reflecte esta abordagem:

“Filosofar significa tentar articular, sobre questões sensíveis à condição humana, numa relação de autenticidade no sentido e na verdade, processos intelectuais de interrogação (problematização de questões, afirmações e noções); conceptualização de noções e distinções conceptuais; argumentação racional de teses e objecções em resposta a estas questões.

Esta definição valoriza exclusivamente a parte intelectual da “filosofização”.

Spilia, o nosso projecto, deseja ir para além disso. O despertar da reflexão pela imaginação, pela leitura de contos e pela liderança de workshops baseados em obras de arte parece-nos essencial para completar esta construção do pensamento.

Spilia baseia-se numa parceria ambiciosa entre diferentes estruturas estabelecidas em vários Estados Membros. A conjugação das competências dos nossos parceiros permitir-nos-á depois implantar o nosso projecto noutros Estados-Membros.

A co-construção de um projecto através da partilha de valores europeus e competências interculturais deve ser uma prioridade para os cidadãos europeus.

A sociedade é construída pelas nossas acções e as crianças de hoje serão os cidadãos de amanhã. Os seminários do DVP preparam-nos para o exercício da democracia, que necessita de mentes claras. Se compreendermos que podemos e devemos ser actores com visão clara, em sintonia com o que somos e capazes de debater um objectivo comum, podemos criar mudanças relevantes e benéficas para a sociedade.

O desafio da Spilia é equipar e acompanhar as crianças para que elas se emancipem e despertem para a cidadania, o que as levará a tornarem-se actores iluminados no espaço público.